sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Ruínas de São Miguel das Missões


Ruínas de São Miguel das Missões
Ruínas de São Miguel das Missões

• Viagem em 02/2017
Post em parceria com passagemparaomundo.com

 Localização:


São Miguel das Missões, pequena cidade com cerca de 7.500 habitantes, está localizada na região noroeste do Rio Grande do Sul. Distante cerca de 480 km de Porto Alegre, 250 km de Passo Fundo, ou ainda há 1.200 km de São Paulo, é bem provável que sua viagem até lá tenha várias horas de duração. A paisagem da região é formada basicamente pelas culturas de soja, trigo e milho, dando espaço para pequenas cidades ou povoados que se formam a beira da estrada. A região possui boa estrutura de estradas principais, com asfalto em boa ou regular conservação. O sinal de celular por vezes fica inativa entre uma cidade e outra. Postos de gasolina e pequenos comércios são bastante comuns.

Pórtico de entrada da cidade de São Miguel das Missões
Pórtico de entrada da cidade de São Miguel das Missões

 Como chegar:

O aeroporto mais próximo, com vôos regulares (e preços dentro da realidade) é o de Chapecó. Mesmo assim, a distância até São Miguel das Missões é bem grande – cerca de 365 km. Mais naturalmente, parte-se de Porto Alegre – há 480 km de distância.
Dada a grande distância dos dois principais aeroportos que atenderiam São Miguel das Missões, bem como a pouca oferta de linhas de ônibus ligando as origens (Porto Alegre e Chapecó) ao destino, recomendamos que a viagem seja efetuada de carro. Você pode contar com os preços mais baixos em aluguel de veículos usando os serviços da RentCars.com, que oferece vários modelos e compara os preços nas diversas locadoras de cada cidade, garantindo sempre uma grande economia!
Partindo de Chapecó: você deve pegar a BR-480 com destino a Nonoai, no RS. Passando por esta cidade, já na RS-406, deve seguir até o município de Ronda Alta e, de lá, para Sarandi, na RS-404. A partir dali, seguir pela rodovia RS-569 até a cidade de Palmeira das Missões, onde pega-se o entroncamento com a BR-158 até Panambi. Daqui entra-se nas duas últimas horas da vigem, pela BR-285 até a entrada de São Miguel das Missões, na RS-536.
Partindo de Porto Alegre: deve-se seguir pela BR-386, sentido Lajeado, por cerca de 250 km até a cidade de Tio Hugo, onde há o entroncamento com a RS-223, rodovia pela qual deve-se seguir até Cruz Alta. De lá, pegar a RS-342 até Ijuí. Depois disso, basta seguir pela BR-285 por cerca de uma hora até a entrada de São Miguel das Missões, na RS-536.

Interior das Ruínas de São Miguel
Interior das Ruínas de São Miguel

 As Ruínas de São Miguel Arcanjo:

As Ruínas de São Miguel Arcanjo é um dos complexos mais bem preservados dentre aqueles que formaram os Sete Povos das Missões, no final dos anos 1600. Fundada em 1687, por padres Jesuítas, apresentava uma complexa estrutura e organização. Com construção durando cerca de 10 anos, entre 1735 e 1745, mostrou toda a capacidade de organização e trabalho em equipe necessária para essa grandiosidade arquitetônica, se considerarmos a tecnologia disponível na época. O material mais visível é a pedra gres, utilizada, por exemplo, na construção da igreja.
A visita às Ruínas pode (e deve) ser dividida em dois tempos distintosDurante o dia deve ser realizada a visita, andando pela área do local, e observando perfeitamente a planta daquele complexo. Podem ser observadas, além da belíssima fachada e interior da igreja (que mantem-se em pé, apesar do tempo, saques e período em que ficou abandonada no século XIX), a área do cemitério, oficinas, adegas, casas de padres e casas de índios. Tudo muito bem dividido e organizado. Algo necessário, até porque no auge da Redução sua população girou em torno de 7 mil habitantes – assim como a população total da cidade nos dias de hoje. É inspiradora a primeira vista da igreja, ao chegar ao parque, e ainda mais incrível é o passeio por dentro dela, visualizando os detalhes da construção, as colunas que seguravam o teto, a torre do sino. Igualmente emocionante é o passeio pelas áreas adjacentes e a visualização das paredes caídas sobre o solo que abrigou a sociedade formada por padres e índios guaranis.
O Parque de São Miguel das Missões é muito bem estruturado, com sanitários, lancheria e loja de souvenirs. Viabilizando uma visita ainda mais completa, é possível alugar o audioguia do passeio, possibilitando explicações acuradas sobre cada parte das ruínas, ligando as construções à história real do local.

Espetáculo Som e Luz, em São Miguel das Missões
Espetáculo Som e Luz, em São Miguel das Missões

O segundo momento da visita deve ser realizado no período da noite. Após o pôr-do-sol o parque recebe os turistas para o Espetáculo Som e Luz. Como o nome já diz, o espetáculo utiliza-se de efeitos sonoros e de iluminação, contando de maneira emocionante a história de criação, ascensão e queda dos Sete Povos. Utiliza a Igreja como personagem central e é ela que conta o desenrolar da história. Um espetáculo realmente imperdível, que conta com vozes de grandes artistas nacionais, como Fernanda Montenegro e Lima Duarte! Há arquibancadas instaladas em local que possibilita a melhor visualização do local. Ponto falho é que para chegar até ela é necessário encarar o campo dentro de uma grande escuridão (amenizada por pequenas lanternas de funcionários locais).

Cruz Missioneira, nas Ruínas de São Miguel
Cruz Missioneira, nas Ruínas de São Miguel

 A Cruz Missioneira:

A Cruz Missioneira, ou Cruz de Lorena, símbolo maior das Missões, foi esculpida pelos índios em pedra arenito e encontra-se no sítio arqueológico da cidade de São Miguel das Missões. A cruz tem origem ainda na Europa, com a união de outras simbologias cristãs, e trazida para a cultura jesuíta pelos padres vindos da Espanha. A Cruz era considerada pelos índios como um amuleto do bem contra o mal, cujos braços duplos representavam a fé redobrada e que os pedidos feitos a Deus permaneceriam em segredo. A Cruz encontrada no parque é um dos principais símbolos de toda a região, estando presente nas bandeiras dos municípios, nas placas de informações e até mesmo em logotipos de diversas empresas.

 O Museu:

O complexo das ruínas de São Miguel Arcanjo abriga um museu que apresenta uma grande maquete representando como eram as reduções em seu apogeu. Além disso, através de um belo trabalho em vídeo, pode-se ter a real noção do funcionamento daquela sociedade. No museu, ainda, estão dispostos vários afrescos resgatados em trabalhos de arqueologia, muitas images sacras e o sino da igreja. Infelizmente no dia de nossa visita o museu passava por uma reforma e estava fechado.

Detalhe da Fonte Missioneira, em São Miguel das Missões
Detalhe da Fonte Missioneira, em São Miguel das Missões

 A Fonte Missioneira:

Localizada a cerca de 1 km das ruínas de São Miguel Arcanjo, a Fonte Jesuíta – também chamada de Fonte Missioneira – era uma das fontes de água da redução jesuítica. Construída há mais de 300 anos, em pedra gres, mantem boa parte de sua originalidade e adereços. Descoberta no ano de 1982, foi restaurada e permite a visitação. Além da fonte, por onde jorra água límpida e pura, há uma série de piscinas que provavelmente eram utilizadas como forma de lazer pelos índios. Além desta, acredita-se que haja ainda outras seis fontes semelhantes, enterradas na cidade de São Miguel das Missões e que passam por buscas arqueológicas.

 Serviço:

• Ruínas de São Miguel Arcanjo
Rua São Miguel, São Miguel das Missões, RS
Telefone: 55 3381 1399 (IPHAN)
Atendimento: de terças-feiras a domingos, das 9h às 12h e das 14h às 18h. No horário de verão o sítio tem permanecido aberto até às 20h. Próximo aos horários de encerramento, guardas locais passam pedindo que os visitantes saiam. Caso vá pela manhã, chegue cedo, pois não há muitos atrativos para estas duas horas entre os turnos.
Valor do ingresso: R$5,00. Estudantes: R$2,50. Pessoas acima de 60 anos não pagam ingresso.
Estacionamento: há muitas vagas gratuitas em frente ao sítio.
• Espetáculo Som e Luz
Ocorre no mesmo local das Ruínas de São Miguel.
Horários:
  • Durante o Horário de verão – 21h30min
  • Fevereiro, Março, Abril, Setembro, Outubro – 20 horas.
  • Maio, Junho, julho, Agosto – 19 horas.
Às terças, quintas e sábados, uma hora após o espetáculo tradicional, há apresentações em espanhol.
Às quartas, sextas e domingos, uma hora após o espetáculo tradicional, há apresentações em inglês.
Ingressos: vendidos uma hora antes do espetáculo. Para a versão em português o valor do ingresso é de R$25,00 – estudantes e maiores de 60 anos pagam R$10,00. A versão em espanhol custa R$30,00. A versão em inglês tem o custo de R$50,00.
Estacionamento: disponível e gratuito.
• Museu das Missões
Funciona no mesmo local das Ruínas, com mesmo horário de atendimento. O valor do ingresso às reduções já inclui a visita ao museu.
• Fonte Missioneira
Pode ser acessada pela rua Jordão França de Bitencourt. A entrada baseia-se em um portão com uma pequena placa O local mais parece um campo, ou a entrada de uma pequena fazenda. Ali há uma trilha em pedras gres, que deve ser seguida até a fonte.
Horário de funcionamento:  das 9h às 12h e das 14h às 18h
Ingresso: gratuito
Estacionamento: apenas na rua, próximo ao portão. Local seguro, com algumas casas e moradores circulando.

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário